news.med.br

Mais acessados

Estatinas não foram relacionadas com artrite reumatoide, observando-se riscos atenuados após ajuste para níveis de lipídios

Estatinas não foram relacionadas com artrite reumatoide, observando-se riscos atenuados após ajuste para níveis de lipídios

O uso de estatinas não aumentou o risco de desenvolvimento de artrite reumatoide1 após o ajuste para o importante fator de confusão da hiperlipidemia2, descobriu um grande estudo nacional dos EUA. Um risco aumentado modesto para artrite reumatoide1 foi observado entre os pacientes que tomam estatinas após o ajuste para idade, sexo, ano índice, região de residência e raça/etnia. No entanto, a associação não era mais significativa após ajuste adicional para hiperlipidemia2, conforme mostrado no estudo publicado na revista científica Arthritis Research & Therapy. Os pesquisadores afirmam que mais informações de estudos prospectivos seriam necessárias para entender melhor essa relação.
1 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
2 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
- 14/10/2021
Teplizumabe em indivíduos com alto risco de diabetes tipo 1 retarda o declínio metabólico rápido e melhora o estado metabólico

Teplizumabe em indivíduos com alto risco de diabetes tipo 1 retarda o declínio metabólico rápido e melhora o estado metabólico

Desfechos que fornecem uma identificação precoce dos efeitos do tratamento são necessários para implementar estudos de prevenção do diabetes tipo 11 com mais eficiência. Para este fim, em estudo publicado na revista Diabetes2, pesquisadores avaliaram se os desfechos metabólicos podem ser usados para detectar um efeito do teplizumabe no rápido declínio das células3 β dentro de 3 meses após o tratamento em indivíduos de alto risco. Uma abordagem analítica que combina evidências visuais com novos desfechos demonstrou que o Teplizumabe retarda o declínio metabólico rápido e melhora o estado metabólico dentro de 3 meses após o tratamento; este efeito se estende por pelo menos 6 meses.
1 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
- 13/10/2021
Intervenção no estilo de vida no pré-diabetes tanto de alto quanto baixo risco pode ser benéfica para prevenção do diabetes

Intervenção no estilo de vida no pré-diabetes tanto de alto quanto baixo risco pode ser benéfica para prevenção do diabetes

A intervenção no estilo de vida pode prevenir o diabetes tipo 21, mas a resposta à intervenção varia dependendo dos subfenótipos de risco. Neste estudo, publicado pela revista Diabetes2, pesquisadores testaram se indivíduos pré-diabéticos com baixo risco se beneficiam de intervenção no estilo de vida convencional e se indivíduos com alto risco se beneficiam de uma intensificação da intervenção no estilo de vida. Foi demonstrado que é possível em indivíduos de alto risco com pré-diabetes3 melhorar os resultados glicêmicos e cardiometabólicos pela intensificação da intervenção no estilo de vida. Assim, a intervenção no estilo de vida individualizada, baseada em fenótipo4 de risco, pode ser benéfica para a prevenção do diabetes2.
1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Pré-diabetes: Condição em que um teste de glicose, feito após 8 a 12 horas de jejum, mostra um nível de glicose mais alto que o normal mas não tão alto para um diagnóstico de diabetes. A medida está entre 100 mg/dL e 125 mg/dL. A maioria das pessoas com pré-diabetes têm um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2.
4 Fenótipo: Características apresentadas por um indivíduo sejam elas morfológicas, fisiológicas ou comportamentais. Também fazem parte do fenótipo as características microscópicas e de natureza bioquímica, que necessitam de testes especiais para a sua identificação, como, por exemplo, o tipo sanguíneo do indivíduo.
- 13/10/2021
Uso de paracetamol durante a gravidez pode alterar o desenvolvimento fetal

Uso de paracetamol durante a gravidez pode alterar o desenvolvimento fetal

O paracetamol (também conhecido como acetaminofeno) é o ingrediente ativo em mais de 600 medicamentos usados para aliviar a dor leve a moderada e reduzir a febre1. O paracetamol é amplamente usado por grávidas. No entanto, o aumento da pesquisa experimental e epidemiológica sugere que a exposição pré-natal ao paracetamol pode alterar o desenvolvimento fetal, o que pode aumentar os riscos de alguns distúrbios neurodesenvolvimentais, reprodutivos e urogenitais. Nesse contexto, em um consenso publicado na revista Nature Reviews Endocrinology, pesquisadores resumiram essas evidências e pediram ações de precaução por meio de um esforço de pesquisa direcionado e do aumento da conscientização entre profissionais de saúde2 e gestantes.
1 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
- 11/10/2021
Novo medicamento é um candidato promissor para o tratamento da dengue

Novo medicamento é um candidato promissor para o tratamento da dengue

Encontrar um tratamento para a dengue1, a doença viral transmitida por mosquitos mais prevalente em humanos, tem sido difícil. Agora, um composto denominado JNJ-A07 apresentou atividade promissora contra o vírus2 da dengue1 em modelos de infecção3 em camundongos. O inibidor do vírus2 da dengue1 foi descrito em um estudo publicado na Nature, e interfere na replicação do vírus2 ao bloquear a interação de duas proteínas4 virais (NS3 e NS4B), revelando um mecanismo inteiramente novo de ação antiviral. O JNJ-A07 se mostrou altamente potente e exerce atividade nanomolar a picomolar contra um painel de 21 isolados clínicos que representam a diversidade genética natural de genótipos e sorotipos da dengue1 conhecidos. O composto tem um perfil de segurança favorável em camundongos e ratos, e mostrou reduzir a carga viral em modelos de infecção3 de camundongos quando administrado por via oral, tanto como prevenção quanto como tratamento.
1 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
- 15/10/2021
Pré-diabetes foi associado a um risco dobrado de depressão maior em estudo holandês

Pré-diabetes foi associado a um risco dobrado de depressão maior em estudo holandês

Um estudo de coorte1 holandês avaliou três medidas substitutas para resistência à insulina2 e mostrou uma ligação significativa delas com o desenvolvimento de um transtorno depressivo maior durante um período de acompanhamento de 9 anos. Conforme mostrado no estudo publicado no American Journal of Psychiatry, uma maior razão triglicerídeos / HDL3 foi associada a um risco 89% maior de desenvolver depressão maior incidente4. Além disso, os indivíduos com pré-diabetes5 tiveram um aumento de 37% no risco de depressão maior. E a adiposidade central foi associada a um risco aumentado de 11% para depressão. O desenvolvimento de pré-diabetes5 entre a inscrição e a consulta de 2 anos do estudo foi associado a um risco mais do que duas vezes maior de depressão maior. Esses achados podem ter utilidade para avaliar o risco de desenvolvimento de depressão maior entre pacientes com resistência à insulina2 ou patologia6 metabólica.
1 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
2 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
3 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
4 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
5 Pré-diabetes: Condição em que um teste de glicose, feito após 8 a 12 horas de jejum, mostra um nível de glicose mais alto que o normal mas não tão alto para um diagnóstico de diabetes. A medida está entre 100 mg/dL e 125 mg/dL. A maioria das pessoas com pré-diabetes têm um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2.
6 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
- 18/10/2021

Elogios, críticas ou sugestões

Seu nome:
Seu email:
Mensagem:

  • Entrar
  • Receber conteúdos