news.med.br

Mais acessados

Limitar o tempo de tela para adultos jovens após uma concussão resulta em menor duração dos sintomas

Limitar o tempo de tela para adultos jovens após uma concussão resulta em menor duração dos sintomas

Um ensaio clínico, publicado no JAMA Pediatrics, com 125 adultos jovens mostrou que aqueles que limitaram o tempo de tela por 48 horas imediatamente após sofrer uma concussão tiveram uma duração significativamente menor dos sintomas1 do que aqueles aos quais foi permitido o uso de telas. Aqueles que se abstiveram do tempo de tela durante as primeiras 48 horas de recuperação tiveram uma duração média dos sintomas1 de 3,5 dias, em comparação com uma duração média de 8 dias para aqueles que tiveram tempo de tela permitido. Essas descobertas oferecem a primeira evidência clínica de que restringir o tempo gasto em uma tela de computador, televisão ou telefone no período agudo2 após uma concussão pode reduzir a duração dos sintomas1.
1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
- 17/09/2021
Proposta de redução voluntária de açúcar em alimentos embalados tem potencial de grande impacto na saúde

Proposta de redução voluntária de açúcar em alimentos embalados tem potencial de grande impacto na saúde

Cortar 20% do açúcar1 dos alimentos embalados e 40% das bebidas poderia prevenir 2,48 milhões de eventos de doenças cardiovasculares2 (como derrames, ataques cardíacos, paradas cardíacas), 490.000 mortes cardiovasculares e 750.000 casos de diabetes3 nos EUA durante a vida da população adulta, e economizar US$ 160,88 bilhões em custos líquidos de uma perspectiva social ao longo da vida, relata um estudo publicado na revista Circulation. Em 2018, a National Salt and Sugar Reduction Initiative (NSSRI) dos EUA propôs que o governo apoiasse metas nacionais voluntárias de redução de açúcar1. O estudo concluiu que implementar e alcançar as metas de reforma do açúcar1 da NSSRI poderia gerar ganhos substanciais em saúde4, ganhos de equidade e economia de custos.
1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
- 14/09/2021
Medicamentos comuns se acumulam nas bactérias intestinais, o que pode reduzir a eficácia do medicamento e alterar o microbioma intestinal

Medicamentos comuns se acumulam nas bactérias intestinais, o que pode reduzir a eficácia do medicamento e alterar o microbioma intestinal

Um novo estudo descobriu que medicamentos comuns podem se acumular nas bactérias intestinais, alterando a função bacteriana e reduzindo potencialmente a eficácia da droga. Essas interações – vistas para uma variedade de medicamentos, como para depressão, diabetes1 e asma2 – podem ajudar os pesquisadores a entender melhor as diferenças individuais na eficácia e efeitos colaterais3 dos medicamentos, de acordo com o estudo publicado na Nature. Os resultados mostraram que a bioacumulação por bactérias intestinais pode ser um mecanismo comum que altera a disponibilidade de medicamentos e o metabolismo4 bacteriano, com implicações na composição da microbiota5, farmacocinética, efeitos colaterais3 e respostas aos medicamentos, provavelmente de maneira individual.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
3 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
4 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
5 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
- 20/09/2021
Garcinia cambogia, um suplemento à base de ervas para emagrecer, foi associado a graves danos ao fígado

Garcinia cambogia, um suplemento à base de ervas para emagrecer, foi associado a graves danos ao fígado

A Garcinia cambogia, sozinha ou com chá verde, é comumente promovida para perda de peso. Casos esporádicos de insuficiência hepática1 por G. cambogia foram relatados, mas seu papel na lesão2 hepática3 é controverso. Agora, um estudo publicado no jornal científico Clinical Gastroenterology and Hepatology revelou que suplementos dietéticos contendo extrato de G. cambogia levaram a lesões4 hepáticas5 que eram clinicamente indistinguíveis das lesões4 causadas por chá verde. Entre mais de 1.400 casos documentados de lesão2 hepática3 induzida por drogas de 2004 a 2018, houve 22 casos relacionados a suplementos de G. cambogia com ou sem chá verde; destes, 91% necessitaram de hospitalização por lesão2 hepatocelular com icterícia6, um paciente precisou de um transplante e dois morreram.
1 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
4 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
6 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
- 14/09/2021
Avanços recentes no tratamento do câncer de próstata metastático

Avanços recentes no tratamento do câncer de próstata metastático

Em 2021, estima-se que 26% dos novos casos de câncer1 não cutâneo2 serão por causa do câncer1 de próstata3, resultando em 11% das mortes relacionadas ao câncer1 nos Estados Unidos, tornando-o a neoplasia4 maligna mais comum em homens e a segunda principal causa de mortalidade5 por câncer1. Em uma revisão publicada na revista científica JCO Oncology Practice, pesquisadores discutem os avanços mais recentes no tratamento do câncer1 de próstata3 metastático e destacam os agentes aprovados recentemente e os ensaios clínicos6 em andamento. O tratamento do câncer1 de próstata3 metastático passou por uma revolução na última década, com a introdução de vários novos agentes e o redirecionamento de outros. Espera-se que essas recentes aprovações, sucessos e a investigação em andamento de vários novos agentes continuem a melhorar drasticamente os resultados de sobrevivência7 de homens com câncer1 de próstata3 metastático nos próximos anos.
1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
4 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
7 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
- 15/09/2021

Elogios, críticas ou sugestões

Seu nome:
Seu email:
Mensagem:

  • Entrar
  • Receber conteúdos